Simples Nacional ou Lucro Presumido: qual o melhor para sua empresa?

PICT0112Para quem tem pequenos negócios, e não sabe qual a melhor forma de tributar sua empresa, ou aqueles que pretendem aderir ao SIMPLES NACIONAL e não sabem qual será sua carga tributário, O SEBRAE criou uma calculadora que simula os impostos que as micro e pequenas empresas terão que pagar mensalmente.

A ferramenta permite que o empresário descubra se é melhor optar pelo Supersimples ou pelo Lucro Presumido.

As duas formas mais comuns de tributação no Brasil são o Super Simples ou o Lucro Presumido

O Supersimples unifica oito impostos em um único boleto ,IRPJ, CSLL, PIS/Pasep, Cofins, IPI, ICMS, ISS e a Contribuição Patronal, desta forma  a carga tributária é reduzida em  40% em média. .

Lucro Presumido, os impostos são apurados e recolhidos de forma diferente e com alíquotas diferentes exemplo  (15% ou 25% de IRPJ e 9% da CSLL), bom ressaltar que as datas de recolhimentos são diferentes

Desta forma saber qual a alíquota que a empresa terá de pagar é importante.

Acesse o link abaixo e busque a melhor forma de tributação e bons negócios.

Portal SEBRAE

SIMPLES NACIONAL, LUCROS REAL OU PRESUMIDO. HORA DE DECIDIR

om o início do agendamento da opção ao simples nacional, abre-se mais uma vez a oportunidade para os empresários reavaliarem e optarem pelo regime tributário mais adequado para o seu negócio no próximo ano-calendárioplanejamentotributario.jpg

As micros e pequenas empresas que desejam aderir ao Simples Nacional em 2015 já podem fazer o agendamento da opção no site da Receita Federal do Brasil. O processo, cujo objetivo é facilitar o ingresso no regime diferenciado, que permite a verificação prévia de pendências fiscais que podem interferir na concessão do sistema, pode ser feito até 30 de dezembro.

No entanto, para saber de fato, se o sistema simplificado de tributos é a melhor opção, é preciso fazer contas. Quem aconselha é o presidente do SESCON-SP, Sérgio Approbato Machado Júnior. “A legislação não permite a mudança no mesmo exercício, por isso é fundamental tomar uma decisão assertiva, baseada em uma análise profunda dos números da empresa, no comportamento do mercado, nos impedimentos, benefícios e peculiaridades de cada regime”, explica o líder setorial, ao destacar que muitas vezes o Simples Nacional não é a melhor alternativa.

Sérgio Approbato reforça especialmente a importância de realização de um planejamento tributário para as empresas do segmento de serviços que estão inseridas nas mais de 140 categorias que ganharam a oportunidade de aderir ao regime a partir do ano que vem, em virtude da Lei Complementar 147/2014. “Grande parte destas organizações serão tributadas pelo recém-criado Anexo 6, que traz alíquotas inviáveis para muitas delas”, diz o empresário contábil, ao lembrar da necessidade de o governo revisar estes percentuais.

Em tempo, o agendamento ao Simples Nacional não está disponível para as categorias integradas na nova legislação, tendo em vista que a sua vigência se dará apenas em 2015. Quem tiver interesse deve aguardar o início do prazo para adesão ao regime, em janeiro.

Além do Simples Nacional, acessível a empresas com faturamento anual de R$ 3,6 milhões, há os regimes do Lucro Presumido, opção para aquelas com faturamento de até R$ 78 milhões por ano, e Lucro Real, disponível para todas as organizações. As duas últimas alternativas são definidas no primeiro ato de pagamento de tributos do ano.

Fonte: SESCON-SP

DÉCIMO TERCEIRO SALÁRIO – Perguntas e Resposta

O fim do ano já se aproxima e um encargo,significativo para todas empresas, também vem junto com as vendas de natal, o 13º salário, criado pela Lei Nº. 4.090 de 13 de julho de 1962 a chamada Gratificação de Natal para os Trabalhadores foi instituído pelo presidente João Goulart.decimo-terceiro-salario-parcela

Este abono é devido por todas as empresas que possuem empregados, há! isso incluindo o MEI.

Segue então seis respostas as principais perguntas para o pagamento da Gratificação de Natal:

  1. QUEM TEM DIREITO?

Faz jus ao 13º Salário todo trabalhador, com carteira assinada, bem como os aposentados, pensionistas, quer seja do serviço público ou da iniciativa privada, urbano, rural, avulso e doméstico.

  1. VALOR A SER PAGO?

O Décimo Terceiro Salário consiste no pagamento de 1/12 avos da remuneração devida no mês de dezembro, por mês de serviço prestado ou fração igual ou superior a 15 (quinze) dias. Quando no salário do empregado houver valor variável, deverá ser calculada a sua média.

  1. QUANDO DEVE SER PAGO?

3.1 A primeira parcela do 13º salário deve ser paga de: 01/fevereiro a 30/novembro ou por ocasião das férias (se solicitado pelo empregado).

 Para que o empregado faça jus ao adiantamento da primeira parcela do 13o salário por ocasião das férias, deverá requerer no mês de janeiro do correspondente ano ao empregador, por escrito.

3.2 A segunda parcela deve ser paga até o dia 20 de Dezembro

  1. QUAIS SÃO OS ENCARGOS SOCIAIS INCIDENTES?

4.1 Na primeira parcela do 13º salário, não há incidência do INSS, IRRF.

O FGTS incidirá sobre o valor pago, efetivamente, pelo regime de competência, ou seja, se o pagamento da primeira parcela ocorrer em novembro, o FGTS deverá ser recolhido até o prazo legal estabelecido (veja prazo), junto com a folha de pagamento.

4.2 Na segunda parcela incide INSS, IRRF e FGTS, fato que faz com que o valor de   Dezembro seja um pouco menor do que o da primeira parcela.

  1. PENALIDADES PARA QUEM NÃO PAGAR O 13º EM DIA?

Segundo a Portaria MTE nº 290/97 e Lei 7.855/89 em caso de descumprimento pelo empregador dos prazos legais para pagamento do 13º salário, a multa é de 160 UFIRs (R$ 170,25) por empregado (dobrado na reincidência). Importante ressaltar que se trata de multa administrativa em favor do Ministério do Trabalho.

  1. O Micro Empreendedor Individual deve pagar o 13º a seu funcionário?

 Sim, na qualidade de empregador, O MEI terá todas as obrigações trabalhistas.

%d blogueiros gostam disto: